Vanquish

Publicado: 14 de janeiro de 2011 em Cultura Nerd, Game Review, Jogos
Tags:, , , , , ,

Vanquish é o mais novo jogo do mesmo criador de Resident Evil 4 Shinji Mikami, mas a ameaça aqui não passa nem perto dos mortos comedores de cérebro ou dos camponeses insanos, e sim robôs. Esse é um jogo para aqueles que adoram um bom TPS em que a ação não pára.

Os gráficos

A qualidade gráfica do jogo é impressionante, mas nada que ainda não foi visto ou feito melhor em jogos como em GoW3 e Uncharted 2. Mesmo assim Vanquish merece crédito. A quantidade de informações na tela é absurda, e é bem provável que a primeira vez que jogar não vai conseguir ver todas as coisas que estão acontecendo. Há explosões, tiros, robôs e marines em todos os lados, e em nenhum momento você sente que os gráficos são prejudicados por esse motivo. Uma das coisas que mais chama a atenção é a armadura que Sam (o protagonista) usa, ela é cheia de partes móveis e luzes, sem falar que o estilo também é muito legal. Outro detalhe interessante é o efeito dos tiros quando você ativa o ARS, que nada mais é que um bullet time, tudo fica em câmera lenta facilitando assim a sua mira. O que torna esse modo mais legal do que os de outros jogos (F.E.A.R e Stronghold) é o efeito dos tiros, é possível ver as balas vindo em sua direção girando e cortando o ar, muito divertido. Os robôs se repetem muito, no entanto o jogo consegue sempre te apresentar inimigos um pouco diferentes todas as fases, e não estou falando de mudança de cor, mas infelizmente não há nada muito surpreendente nesse quesito. Os cenários no geral são ótimos, mas tive a impressão que os mais urbanos (a grande maioria) são melhores que as poucas partes em que há vegetação. (In)felizmente o jogo é tão frenético que não há como ficar olhando muito o ambiente, há algumas partes em que você pode olhar a cidade, mas são bem poucas.

O enredo

A parte mais fraca do jogo é com certeza o enredo. Os russos (mais uma vez) resolvem atacar os EUA, após tomarem o controle de uma colonial espacial, que por algum motivo possui uma arma devastadora, eles atacam a cidade de São Francisco. Não sei dizer que tipo de raio da morte atinge a cidade, mas parece algo como micro-ondas, porque as pessoas parecem que são cozinhadas. Para evitar que o mesmo ocorra com a cidade de Nova York e retaliar o ataque os EUA invadem a colônia.

Um detalhe, não é bem a Rússia como país que ataca os EUA, é mais como um grupo terrorista que assume o controle do páis. O enredo do jogo não vai muito além, há algumas intrigas e conspirações, porém nada realmente interessante e até um pouco confuso às vezes. Os personagens são bem clichês, assim como algumas situações que acontecem no meio do jogo, mas pelo menos o protagonista Sam é carismático e com personalidade. Acredito que o principal responsável por isso é Gideon Emery’s, o ator que faz a voz de Sam. Dos outros personagens o mesmo não pode ser dito, apesar da maioria ser bem aceitável, o vilão é com certeza decepcionante. No geral Vanquish tem uma “boa” desculpa para o ótimo gameplay.

Coisas do Jogo

Combate

Não há nenhuma novidade real no combate de Vanquish, você joga como em qualquer outro jogo de tiro em terceira pessoa que faz uso do cover system. Nem mesmo o ARS (Augmented Reaction Suit) que é a armadura que Sam usa é novidade, como já comentei anteriormente há vários jogos com mecânicas parecidas. A principal diferença aqui é como todas essas funções do ARS se integram ao gameplay.

Vanquish é um pouco mais agressivo do que a maioria dos TPS que já joguei, aqui os inimigos avançam constantemente, tentam te flanquear, são numerosos e para piorar há vários ataques que matam na hora. Todos esses elementos te obrigam a usar tudo que a armadura tem a oferecer.

Bullet time

Caso alguém ainda não saiba o bullet time é aquele efeito da cena do Matrix em que o Neo esquiva pela primeira vez das balas, quando tudo fica em câmera lenta e você pode ver tudo em detalhes. O ARS dá ao Sam a habilidade de bullet time por um tempo limitado, no meio do caos dos combates isso é extremamente vantajoso, seja para atingir um inimigo em movimento, para desviar de mísseis ou qualquer outra ameaça que apareça pela frente. Infelizmente você não pode ativar o ARS quando quiser, ele só começa a funcionar depois de determinadas ações. Na maior parte do jogo isso não é nenhum problema, mas nas partes em que você está em algum veículo, ou num lugar cheio de entulhos, achar uma boa posição para a mira pode ser complicado.

Quando eu posso ativar o bullet time do ARS?

  • Depois de usar a esquiva.
  • Depois de pular por um cover.
  • Enquanto usa a habilidade de deslizar (slide).
  • Depois do melee usado junto com a habilidade de deslizar.

O ARS é ativado automaticamente quando você leva uma grande quantidade de dano, possibilitando assim matar mais facilmente quem quer que esteja te causando o dano, ou só ir à busca de proteção em segurança. No geral é uma grande ajuda quando o ARS é ativado sozinho, mas nem sempre isso é bom. Mais de uma vez eu gostaria que ele não tivesse sido ativado, e isso acontece com bastante frequência. O principal motivo para meu descontentamento com a ativação automática do ARS é que ele não desativa caso você se recupere do dano, consumindo assim toda a energia da armadura fazendo-a aquecer. Quando a armadura superaquece você tem que esperar um tempo até ela esfriar para depois a energia encher.

Melee e Slide

O Melee aqui é tão letal quanto em jogos como Army of Two, e bem brutal. Apesar de dar muito dano ele consome toda a energia da armadura deixando você superaquecido, então saber quando usar é importante. Outra coisa interessante é que dependendo da arma que você usa o golpe é diferente. Em minha opinião o melhor do melee é usá-lo durante o slide, que nada mais é que sair deslizando em alta velocidade (isso também consome energia, mas não muito). A vantagem de usar os dois em conjunto é que além de você dar o dano do melee ainda vai poder entrar no bullet time, acredito que o melee não cause tanto dano assim, mas de qualquer jeito é muito massa. O vídeo abaixo é bem divertido, mas se você não quer nenhum tipo de spoiler talvez não deva ver.

Armas e Upgrades

Armas

O arsenal é bem variado, você tem as armas mais tradicionais como metralhadoras e espingardas, mas há também algumas mais tecnológicas, como o Lock-on Laser que dispara vários tiros em alvos distintos, e a LFE gun (Low-Frequency Energy) que dispara uma esfera de energia que atravessa tudo que encontra, muito boa para alvos aglomerados. O mais legal das armas é que na realidade você usa uma única arma que se modifica a B.L.A.D.E. (Battlefield Logic ADaptable Electronic), com esse dispositivo você pode scannear até três armas diferentes para usar. Uma desculpa interessante para dizer que você só pode carregar três armas de uma vez. É muito legal ver a metamorfose da arma. Outra vantagem é que há como mudar de arma mesmo durante os disparos, mantendo assim o fogo constante. Às vezes a troca é instantânea, em outras tem que esperar a arma se modificar.

Upgrades

Todas as armas, inclusive as granadas, podem ser melhoradas, algumas mais outras menos. Durante o jogo alguns inimigos deixam quando morrerem um cubo holográfico verde, esse cubo melhora o nível da arma que está empunhada no momento. Não é todo upgrade que melhora alguma coisa na arma, e as armas mais comuns como as metralhadoras possuem mais leveis que as mais fortes como o Rocket Launcher. Outro jeito de melhorar as armas é as pegando novamente, isso se elas estiverem com a munição completa. O lado ruim disso tudo é quando Sam morre, as armas que você tem armazenada na B.L.A.D.E.  perdem um nível.

Cover System

Apesar de Vanquish não te dar muito incentivos para se usar as proteções espalhadas pelas fases, o cover system que o jogo apresenta é muito bom, eu ainda gosto mais do que há no AoT pela sua fluidez. Para entrar no cover você precisa apertar um botão, como acontece na maioria dos jogos, o diferencial aqui é que os covers podem ser destruídos, mas enquanto ainda tiver uma parte, mesmo que pequena, Sam pode ficar protegido. É comum você entrar no cover e ver Sam deitado no chão se protegendo atrás de um pedaço de concreto que não tem nem cinquenta centímetros de altura.

Challenges

Após completar cada um dos cinco capítulos do jogo você libera um desafio baseado na fase. Alguns deles são bem difíceis de passar, outros nem tanto. Esses challenges são bons para aquelas pessoas que gostam de tentar bater recordes e ver a leaderboards (que não é tão fácil de usar como em outros jogos). Cada desafio é dividido em cinco ou seis partes, não lembro exatamente, cada parte com seus inimigos, e no fim de tudo um robô um pouco mais forte pra fechar. Realmente gostei de jogar esses desafios, não sou o tipo de pessoa que fica tentando melhorar  seu tempo e essas coisas, mas posso dizer que é aqui que está o verdadeiro desafio (Estou falando com vocês challenges n° 4 e 6).

Câmera

No geral a câmera do jogo é ótima, mas não foi uma ou duas vezes que ela me atrapalhou ao extremo. Quando você se aproxima muito de uma parede ou alguma coisa que possa bloquear sua visão a câmera chaga perto de Sam, limitando muito minha visão do ambiente. Isso fez me morrer mais de uma vez…

Bem gente, espero que tenham gostado do post, Vanquish é realmente muito bom. Verdade que achei o jogo meio curto e até fácil, mas essa foi minha impressão. Eu adoro jogos de tiro e tenho facilidade para mirar com o controle, talvez para outras pessoas esse jogo possa ser o inferno. Se você gosta de TPS esse é um jogo que tem que estar em sua lista, tudo é feito com excelência e eu estou louco para ver a continuação.

Valeu!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s